Aplicações da Estatística: Desigualdades de Mortalidade por Malformações do Sistema Circulatório

Atualizado: 24 de set. de 2020

Artigo científico usa Estatística para mostrar Desigualdades nas Taxas de Mortalidade por Malformações do Sistema Circulatório em Crianças Menores de 20 Anos de Idade entre Macrorregiões Brasileiras.


Resultados principais:


Ocorreram 1.367.355 óbitos por todas as causas nos menores de 20 anos de idade, sendo 61,7% do sexo masculino e 55,0% dos óbitos nos menores de 1 ano. Os óbitos por MC em quaisquer órgãos ou sistemas foram 144.057 e os por MAC corresponderam a 39% desses óbitos. Em ambos os sexos, a mortalidade anual por MAC foi de 5,3/100 mil habitantes e a mortalidade proporcional (MP) foi de 4,2%, por DAC 2,2%, por CMD 6,2% e por CE 24,9%. As MAC não especificadas apresentaram as maiores taxas de MP em todas as idades e sexos, notadamente nas regiões Norte e Nordeste (60%). Os óbitos por quaisquer MC ocorreram 5,7 vezes mais no primeiro ano de vida do que nas outras faixas etárias (MAC: 5,0; OutMC: 6,4)..


Sobre a metodologia estatística usada para comprovar as hipóteses deste estudo você pode encontrar o passo a passo em nosso Curso Completo de Estatística (www.imechi.com), onde explicamos:

(1) Em qual situação aplicar cada técnica;

(2) passo a passo de como fazer no software SPSS ou R e

(3) como interpretar os resultados corretamente

É um curso voltado para graduandos, mestrandos, doutorandos, professores universitários e pesquisadores. Neste curso já tem tudo organizado e testado, só basta replicar nas suas pesquisas.

Mas caso não queira pegar tudo pronto, ou seja, queira desenvolver seu próprio material de estudo, poderá fazer suas pesquisas em livros, professores particulares, vídeos na internet e consultar quem já aplica Estatística na prática.

Mas enfim, qual o seu posicionamento sobre esta pesquisa? Concorda com o autor? Tem algo a discordar?

Link do artigo: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0066-782X2020005010202&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

#doençascardiovasculares #Epidemiologia #Mortalidade #Infantil #Crianças #cardiopatiascongênitas #serviçodesaúdepública #recémnascido #tratamento

2 visualizações0 comentário